Queda capilar

É queda ou quebra do cabelo?

Estar bem consigo mesmo envolve tanto fatores psicológicos, quanto físicos.
A grande maioria das pessoas não sabe diferenciar a queda de cabelo com a quebra.
Normal, pois realmente confunde. Então vamos tirar a dúvida?

Quebra do Cabelo

A quebra pode ser sentida ao passar a mão pelo couro cabeludo e sentir os “toquinhos” dos fios ou percebida ao ver ou sentir fios mais curtos que o restante (sem ser pelo corte).

Ela ocorre quando o fio não cai diretamente pela raiz, mas sim por sofrer algum estresse que o deixa fraco.

Fatores ambientais como o excesso de sol e vento, alterações climáticas bruscas e o cloro da piscina podem deixar os fios quebradiços.

Algumas outras possíveis causas de quebra são: procedimentos químicos como alisamento, tintura e relaxamento; escovações exageradas; doenças debilitantes, como o câncer e infecções sistêmicas como a tuberculose, e fatores que impactam o crescimento saudável dos fios.

Quando o fio fica muito sensibilizado e enfraquecido por procedimentos químicos, ele perde a elasticidade e não consegue voltar ao seu formato original, por isso opte por produtos mais íntegros possível e que não apresente amônia em sua formulação.

O calor do secador, tingimentos com pequeno período de diferença entre eles e alisamentos repetitivos, por exemplo, podem afetar o cabelo e formar pontas duplas.

Essa falta de maleabilidade e resistência facilita a quebra.

Penteados que deixam os fios muito esticados e apertados, como coques ou rabos de cavalo, podem colaborar para a quebra capilar e também para a queda capilar.

Para avaliar a saúde das madeixas, é importante testar a elasticidade dos fios. Um cabelo que é esticado e volta naturalmente ao seu estado normal pode ser considerado saudável.

Quando essa qualidade não existe, é sinônimo de quebra e ressecamento. Nesse caso, os cabelos necessitam de cuidados capilar especificos.

Queda de Cabelo

A queda de cabelo também pode estar ligada a problemas emocionais e hormonais. Normalmente, caem em média 100 a 150 fios por dia, de uma média de 100 mil fios de cabelo.

Porém, quando a queda incomoda e se torna anormal, é importante averiguar com um dermatologista para que ele veja qual é a causa do problema e prescreva um tratamento específico.

Em algumas mulheres, a queda pode ser fruto de disfunção hormonal, devido a problemas na tireoide e na hipófise, estresse emocional, doenças crônicas como diabetes, câncer. Dietas alimentares desequilibradas também podem provocar a perda de cabelo.

Outra possível causa para a queda é o Eflúvio Telógeno (ET), quando uma maior quantidade de fios entra prematuramente na fase telógena (fase de repouso) devido a algum fator desencadeante, resultando na queda precoce dos fios.

Podem ser várias as razões que determinam o aparecimento do eflúvio telógeno agudo, como:

    • Pós-parto;
    • Interrupção do uso de pílulas anticoncepcionais ou de reposição hormonal;
    • Infecções e doenças acompanhadas de febre alta;
    • Traumas físicos e/ou emocionais;
    • Pós-operatório;
    • Deficiências nutricionais (ferro, zinco e proteínas);
    • Dietas muito restritivas (com ou sem medicamentos).

Para diferenciar os dois problemas e saber o motivo da perda das madeixas, basta observar a estrutura do cabelo: quando há queda é possível ver o fio em toda sua extensão.

Nesse caso, conseguimos identificar o bulbo, que é a parte arredondada e saliente, localizada na base do fio. No caso da quebra, você não sente a saliência por que o bulbo continua no lugar, afinal o cabelo só quebrou.

Tanto a queda quanto a quebra também podem estar associadas à carência de vitaminas no organismo.

Os alimentos são fontes de vitaminas e minerais, mas às vezes não conseguimos ingerir todos os nutrientes que nosso organismo precisa, ou até mesmo quando ocorre a ingestão de forma erronia dificultando a biodisponibilidade desses nutrientes.

Nesse caso, o uso de suplementos pode ser fundamental, porém é de extrema importância o acompanhamento Nutricional, uma vez que o excesso de suplementos podem causar efeitos contrário do esperado!

Sabemos que as vitaminas e minerais ajudam no fortalecimento fisiológico dos cabelos desde a raiz, contribuindo em processos do corpo que auxiliam na manutenção dos fios. O equilíbrio destes nutrientes no organismo é um dos fatores que ajudam a evitar a queda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *